quarta-feira, 30 de dezembro de 2015

Custódia Gallego é o Patrono 2016 (com presença confirmada)

A alentejana. nascida em Beja em 1959, casada e mãe de dois filhos, sonhava ser médica. Entrou em Medicina por vontade própria, mas logo no primeiro ano de faculdade quis formar um grupo de teatro na Associação de Estudantes - primeiro passo num caminho novo. Foi ao Conservatório Nacional na esperança de conseguir alguém que os dirigisse e acabou por fazer os exames de admissão e ficar entre os vinte seleccionados. Decidiu fazer os dois cursos em simultâneo, conciliando as duas paixões, mas quando chegou a hora de escolher, não hesitou: concluiu, em 1984, o curso superior de actores e encenadores do Conservatório Nacional.

Em 1985 recebeu o prémio Interpretação do Festival El Passo nos EUA, pela sua participação no filme "Celestina". Em 1990, a revista Actor atribuiu-lhe o prémio de Melhor Actriz. Entre 1983 e 1984 trabalhou com a companhia do Teatro D. Maria II. Ingressou, depois, no Teatro Ibérico, e, em 1986, fundou o grupo Persona. Entre outros, participou em espectáculos da Associação Novo Circo, do Grupo Joana, da Escola das Mulheres - Oficina Teatro, do Projecto Teatral, do Teatro Aloés e do Teatroesfera.

Dona de um vasto currículo em teatro e televisão, a sua popularidade terá sido alcançada com a personagem 'Gi' na telenovela "Laços de Sangue" (SIC, 2011), à qual que se seguiram 'Áurea Henriques' em "Dancing Days" (SIC, 2012/13) e 'Antónia Queiroz' em "Mar Salgado" (SIC, 2014/15).
Actualmente podemos vê-la a interpertar 'Fernanda Silva' na telenovela "Coração d'Ouro" (SIC)

terça-feira, 29 de dezembro de 2015

Programa "CALE-se" 10

16 Janeiro
Frio




Fábula - m/12
Farrapo Teatro (Santiago de Compostela, Espanha)



23 Janeiro 
Ratos e homens




Drama - m/12
Os plebeus Avintenses (Vila Nova de Gaia)



30 Janeiro
A herança de Faustino Miséria




Comédia - m/12
TaCCO (Vila do Conde)



6 Fevereiro
Imortal




Thriller - m/12
Marañao Teatro (Ourense , Espanha)



13 Fevereiro
4 mulheres para uma Ifigénia




Drama - m/14
Theatron (Montemor-o-Novo)



20 Fevereiro
Lendas de Leiria




Comédia - m/6
TASE - Teatro de Animação de Santa Eufémia (Leiria)



27 Fevereiro
O belo lápis azul




Comédia - m/12
Loucomotiva - Grupo de Teatro de Taveiro (Coimbra)



5 Março
Caixa negra




Drama - m/12
Grupo Teatro Contra-senso (Lisboa)



12 Março
O postigo




Comédia de costumes - m/12
Váatão - Teatro de Castelo Branco (Castelo Branco)



19 Março 
Opus




Comédia m/12
Ajidanha (Idanha-Nova)

O que é o "CALE-se"?



A denominação "CALE-se", surge, obstinadamente, com duplo sentido: em primeiro lugar, para que nunca se cale o Teatro e a Cultura, e, em segundo lugar, o nome surge como um apelo à população para que se junte ao Cale; envolva com o Cale, ou seja, "CALE-se".

O "CALE-se" não é apenas mais uma mostra de teatro, como as muitas que se realizam por todo o país.

O "CALE-se" pretende ser desde o início, o embrião pró-activo de uma forma de estar no Teatro, um espaço de reflexão e debate que vise a adaptação dessa arte secular aos desafios do século XXI. Não é possível captar novos públicos sem a indispensável evolução artística e cultural dos seus praticantes e dirigentes, indo de encontro às expectativas do espectador.

Essa adequação de meios, estilos e formas, atendendo que os amadores de Teatro se expressam sobretudo no seio do Movimento Associativo, é também vital para o rejuvenescimento das Colectividades, das Associações de Cultura e Recreio e de todas as formas de associativismo cultural.

Em 2007, almejávamos que o "CALE-se" pudesse ser, a médio prazo, um festival de referência para todos os não-profissionais de Teatro; 10 anos volvidos temos a certeza do objectivo alcançado.

O "CALE-se" é um festival de teatro de carácter competitivo, onde são atribuídos os 'Prémios Cale', galardões de mérito com que o júri - especialistas ligados ao teatro profissional - distingue as melhores prestações nas diversas categorias a concurso : Interpretação Feminina; Interpretação Masculina; Sonoplastia; Desenho de Luz; Figurinos; Cenografia; Encenação e Espectáculo.

O "CALE-se" atribui, ainda, o "Prémio do Público", destinado a premiar o melhor espectáculo, segundo a opinião, e votação dos espectadores assíduos do Festival.

Quem é o Cale Estúdio Teatro?



O Cale Estúdio Teatro - Associação Cultural de Actores é uma associação cultural, sem fins lucrativos. Começou a sua actividade em 1986, enquanto um grupo de teatro escolar, na Escola Secundária Almeida Garrett, em Vila Nova de Gaia.

Ao longo destes anos, já desenvolveu a sua actividade em várias freguesias de Gaia - Mafamude, Santa Marinha, Canelas, Vilar do Paraíso e Canidelo - à medida que ia encontrando um "abrigo".

Os seus espectáculos têm sido vistos e aplaudidos em praticamente todo o país e alguns palcos em Espanha.

Foi um dos fundadores da ANTA - Associação Nacional de Teatro de Amadores, fazendo parte dos órgãos directivos durante vários anos.

Mantém a esperança de dinamizar um espaço próprio, um espaço adequado e capaz de dignificar a sua actividade e muitos outros projectos que teimam em não sair dos vários planos anuais da associação.

Às portas de celebrar 30 anos, os seus elementos exigem que lhes sejam reconhecidos o dinamismo e maturidade suficiente para lhes ser confiado esse espaço que antevêem e projectos como um pólo de promoção e divulgação cultural.

Acreditamos no potencial que o teatro e a cultura  podem constituir tanto a nível do crescimento económico como ao nível da área social.

Acreditamos que o teatro, numa dimensão cultural mais alargada, à semelhança do que acontecem em países culturalmente desenvolvidos, podem construir um factor essencial para o desenvolvimento e o bem-estar da comunidade.